boas
 
Leio tudo que vejo quando estou no avião.

Outro dia me vi lendo um manual de boas maneiras: aquelas coisas de Carmen Mairynk, Condessa não sei o que, e mais todo o jet set metido a chic do mundo afora.

Para o meu pesar, eu que me achava até que não tanto esotérico assim, descobri que sou um mal educado, e que na mesa da Vera Loyola eu causaria um frisson negativo: que vergonha.

Eu que já não gosto muito de plumas e paetês, decidi que agora é que vou correr dos saraus como o diabo da Santa Cruz.

Imaginem se eu vou perder tempo decorando qual garfo serve para comer peixe ou lagosta: dê-me um garfo e uma faca, destes normais, e eu descasco camarão da maré ou lagosta e tiro espinha de peixe sem nem tremer as pálpebras.

Para levar a comida à boca, eu gosto mesmo é de colher. Até que quando a coisa é casual chic, eu faço uma concessão e como com o garfo, mas se der eu peço uma colher, aí sim, a comida fica deliciosa.

Lá no manual diz que não se deve juntar comida ao garfo com a faca: é falta de educação. Tem que pegar o garfo e ir juntando a comida como se junta areia na praia com uma pá.

No começo até que dá, mas quando a comida vai acabando é que a cobra fuma. Quando a comida é boa quanto menos tem no prato mais deliciosa vai ficando.

Já pensou ter que deixar aquele restinho que o garfo não pega mais, só para ter boas maneiras? Não sei se consigo me controlar.

Agora o que foi mais constrangedor na leitura, foi no momento em que eu li que aquele guardanapo que vem com a comida não deve ser colocado no pescoço, como se fosse um babador. Eu estava almoçando quando li isto e, pasmem: estava com o guardanapo enfiado no pescoço.

Sabem como é, o avião as vezes sacode e a gente pode sujar a camisa.

Eu olhei para os lados. Acho que todos já tinham lido a revista: ninguém estava de babador, só eu. Mas eu não dei o braço a torcer, continuei com o babador, imaginem se vou dar bola para a Condessa não sei o que.

Algo que me intrigou: quando se acaba de comer, pega-se o tal guardanapo e, sem dobrar, coloca-se do lado esquerdo do prato. Nada contra o lado esquerdo: minha mulher é canhota, já fui comunista. Mas por que não é do lado direto? Ou na frente, ou atrás do prato?

Penso que boa educação não consiste em saber quantos garfos e facas por à mesa e nem qual deles serve para o que.

Boa educação é ter charme, mesmo comendo com as mãos. Dignidade e boas atitudes não são possíveis de serem enumeradas em manuais: ou se tem ou não.

Quem as tem, consegue ter boas maneiras apenas com um garfo e uma faca, mesmo com um guardanapo enfiado no pescoço.

Comments (2)

On 8 de out de 2012 17:36:00 , FRANCIMAR PINHEIRO disse...

SENSACIONAL

 
On 1 de out de 2014 15:12:00 , Anônimo disse...

Amei...tô nem aí pra essas maluquices...